Geodiversidade dos Açores

um arquipélago único

O Arquipélago dos Açores posicionado em pleno Atlântico Norte na junção tripla das placas Euroasiática, Norte Americana e Africana é caracterizado por 16 grandes edifícios vulcânicos, 9 dos quais estão activos.

A paisagem vulcânica açoriana é constituída por cerca de 1750 vulcões que incluem cones de escórias e de spatter, domos, coulées, anéis de tufos, cones surtseianos e fissuras eruptivas.

É conhecida a natureza telúrica e vulcânica das ilhas dos Açores, com inúmeros eventos sísmicos que sucedem no arquipélago. Desde o povoamento dos Açores, ocorreram 26 erupções nas ilhas dos Açores e mares vizinhos, de maior ou menor espectacularidade, mas sempre temerosas. Pese embora a última erupção ter ocorrido entre 1998 e 2000, ao largo da ilha Terceira (na cordilheira vulcânica da Serreta), a última grande erupção teve lugar no Vulcão dos Capelinhos, ilha do Faial, entre 1957 e 1958.

A paisagem do arquipélago dos Açores apresenta um vasto conjunto de formas, rochas e estruturas ímpares. A geodiversidade presente nos Açores retrata ainda, elementos intimamente ligados às dinâmicas do planeta Terra e, em especial, ao vulcanismo e à geotectónica desta região do Globo, constituindo, assim, a Região um laboratório natural de geodiversidade vulcânica (Lima et al., 2009).

Speleologia nos Açores

O Arquipélago dos Açores posicionado em pleno Atlântico Norte na junção tripla das placas Euroasiática, Norte Americana e Africana é caracterizado por 16 grandes edifícios vulcânicos, 9 dos quais estão activos.

A paisagem vulcânica açoriana é constituída por cerca de 1750 vulcões que incluem cones de escórias e de spatter, domos, coulées, anéis de tufos, cones surtseianos e fissuras eruptivas.

É conhecida a natureza telúrica e vulcânica das ilhas dos Açores, com inúmeros eventos sísmicos que sucedem no arquipélago. Desde o povoamento dos Açores, ocorreram 26 erupções nas ilhas dos Açores e mares vizinhos, de maior ou menor espectacularidade, mas sempre temerosas. Pese embora a última erupção ter ocorrido entre 1998 e 2000, ao largo da ilha Terceira (na cordilheira vulcânica da Serreta), a última grande erupção teve lugar no Vulcão dos Capelinhos, ilha do Faial, entre 1957 e 1958.

A paisagem do arquipélago dos Açores apresenta um vasto conjunto de formas, rochas e estruturas ímpares. A geodiversidade presente nos Açores retrata ainda, elementos intimamente ligados às dinâmicas do planeta Terra e, em especial, ao vulcanismo e à geotectónica desta região do Globo, constituindo, assim, a Região um laboratório natural de geodiversidade vulcânica (Lima et al., 2009).

Dada a natureza vulcânica das ilhas dos Açores e a presença de inúmeras escoadas lávicas basálticas, o arquipélago apresenta um rico e diversificado património espeleológico.

Todo este património justifica a proposta de criação do "Geoparque Açores" em fase final de aprovação e que assenta numa rede espacial constituída por áreas dispersas pelas nove ilhas do arquipélago, que garante a representatividade da geodiversidade que caracteriza o território açoriano e a sua história geológica, valorize os elementos nela englobados e permita a sua inserção num contexto supranacional de geoconservação.

Vdeos dos Aores VER VÍDEO:
"The Volcanic mystic in the Azores"

Clique aqui

 

São conhecidas cerca de 270 cavidades naturais nos Açores, correspondendo a muitas dezenas de quilómetros de caminhos subterrâneos, com formas peculiares onde se escondem muitos segredos e estranhas formas de vida. Estas cavidades são de diferentes tipos: grutas e algares vulcânicos, fendas e grutas de erosão, ocorrendo, por vezes, a combinação de diferentes tipos.

É na ilha do Pico que se pode encontrar o maior número de cavidades vulcânicas conhecidas nos Açores, num total de 111. Os maiores tubos lávicos dos Açores são a Gruta das Torres, na ilha do Pico e a Gruta dos Balcões na ilha Terceira, com 5150 m e 4421 m de comprimento total, respectivamente. O Algar do Morro Pelado e as Bocas do Fogo na ilha de São Jorge, com 140 m e 120 m de profundidade, respectivamente, são os maiores algares do arquipélago.

Os Açores disponibilizam uma rede de infra-estruturas, rotas, programas e equipamentos que permitem apreciar e interpretar os elementos mais significantes deste valioso património natural, em particular na ilha do Pico.

Furna do Enxofre, ilha Graciosa
© siaram.azores.gov.pt
Algar do Carvão, Terceira
© siaram.azores.gov.pt
Gruta das Torres, Ilha do Pico
© siaram.azores.gov.pt
Furna do Enxofre, ilha Graciosa
© siaram.azores.gov.pt
Centro de Interpretação do Vulcão dos Capelinhos
© siaram.azores.gov.pt
Gruta das Torres, Ilha do Pico
© siaram.azores.gov.pt